Rússia suspenderá cooperação em tecnologias se Ucrânia entrar na Otan

Moscou, 28 jun (EFE) - O primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, advertiu hoje de que se a Ucrânia aderir à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), a Rússia será obrigada a colocar fim à cooperação com as empresas ucranianas voltadas à produção conjunta de tecnologias sensíveis.

EFE |

"No que diz respeito às tecnologias sensíveis e, especialmente, às relativas aos mísseis, a produção será realizada na Rússia", disse, depois de se reunir em Moscou com a chefe de Governo ucraniana, Yulia Timoshenko.

Além disso, afirmou estar convencido de que "muitas empresas ucranianas (do âmbito da defesa) não são capazes de funcionar segundo os parâmetros da Otan" e advertiu de que atualizá-las requereria "grandes investimentos".

"Nós produzimos certos tipos de armas segundo os parâmetros da Otan, as vendemos com sucesso no mercado internacional e podemos continuar cooperando nesse aspecto (com as empresas ucranianas)", assinalou Putin, citado pelas agências russas.

No que diz respeito às tecnologias sensíveis, acrescentou, "sua produção será transferida a nosso território, seja qual for o custo", disse.

Putin ressaltou novamente que "qualquer ampliação da Aliança Atlântica é contraprodutiva em termos de segurança coletiva e não elimina qualquer ameaça nova, mas só cria novas divisões".

Ele também ressaltou que a escolha, "em todo caso, corresponde ao país" em questão, e acrescentou que "a entrada em qualquer bloco é uma limitação da soberania".

Por sua parte, Timoshenko ressaltou que "a opinião do povo é determinante" para a Ucrânia.

"Qualquer decisão do país só poderá ser tomada depois da realização de um plebiscito", acrescentou. EFE egw/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG