Rússia se diz pronta para reduzir drasticamente arsenal nuclear

AMSTERDÃ - A Rússia está pronta para reduzir drasticamente seus estoques de matéria-prima nuclear, num novo pacto de armas com os Estados Unidos, caso Washington aceite as preocupações russas sobre defesa anti-mísseis, disse o presidente, Dmitry Medvedev, neste sábado.

Reuters |

"Estamos prontos para reduzir em muitas vezes o número de veículos de transporte nuclear em comparação com o pacto START-1", disse ele em conferência em Amsterdã.

"No que diz respeito aos mísseis, seus números devem ser menores do que o previsto pelo pacto de Moscou de 2002", acrescentou.

Ele se referiu a um acordo chamado Tratado Estratégico de Reduções Ofensivas (TERO) que compromete os lados envolvidos a maiores reduções no arsenal para entre 1.700 a 2.200 mísseis em 2012.

Um novo pacto de armas após o tratado START de 1991, que expira em 5 de dezembro, é o foco das atenções de Medvedev e do presidente norte-americano, Barack Obama, para melhorar as relações bilaterais que ruíram aos piores níveis pós-Guerra Fria na administração anterior dos Estados Unidos.

Um tratado sucessor visando a redução de armas nucleares de longo alcance construído pelas antigas superpotências rivais durante a corrida armamentista da Guerra Fria será o tópico principal nas conversas entre Medvedev e Obama em Moscou, na próxima semana.

As negociações em ambos os lados devem dar início a uma nova rodada de consultas sobre um novo acordo na próxima semana, disse a porta-voz de Medvedev, Natalya Timakova, à repórteres.

O START-1 estipula que nenhum dos dois lados pode empregar mais de 6.000 mísseis nucleares e não mais de 1.600 veículos de transporte estratégico, o que inclui mísseis balísticos intercontinentais, submarinos e bombardeiros.

Uma fonte no Kremlim disse que as advertências de Medvedev se tornaram instruções aos negociadores de armas russos.

Mas o chefe do Kremlim novamente deixou claro que o progresso no START está relacionado ao futuro do projeto de escudo anti-mísseis dos Estados Unidos.

A Rússia lamenta os planos dos Estados Unidos de empregar elementos de seu escudo anti-mísseis no leste europeu. Ela vê a medida como uma ameaça à segurança nacional e afirma que ele não atingirá seu objetivo de interceptar um ataque a mísseis proveniente do Irã.

Em comunicado separado publicado no site do Kremlim e distribuído a jornalistas, Medvedev afirma: "Não podemos concordar com o plano dos Estados Unidos de um sistema de defesa global anti-mísseis."

"Eu gostaria de destacar que as reduções propostas por nós só são possíveis se os Estados Unidos aceitarem as preocupações russas (sobre o sistema de defesa contra mísseis)", acrescentou.

Leia mais sobre: armas nucleares

    Leia tudo sobre: armas nuclearesdmitri medvédevrússia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG