Rússia reconhece empresas e organizações inscritas em Abkhazia e Ossétia Sul

Moscou, 16 abril (EFE).- O Governo russo reconheceu hoje as empresas e organizações inscritas na Abkhazia e na Ossétia do Sul, duas regiões separatistas georgianas.

EFE |

Segundo comunicado do Ministério de Assuntos Exteriores, divulgado pela agência russa "Interfax", a medida faz parte das ações que a Rússia adota para proteger, por instruções do presidente Vladimir Putin, os cidadãos russos que residem permanentemente na Abkhazia e na Ossétia do Sul.

A Chancelaria afirmou também que os órgãos territoriais do Ministério do Interior da Rússia na região de Krasnodar e na república da Ossétia do Norte, próximas à Geórgia, prestarão serviços consulares aos cidadãos russos que vivem nestas regiões.

Nos últimos anos a Rússia concedeu cidadania à maioria dos habitantes da Abkhazia e da Ossétia do Sul, que romperam ligações com a Geórgia no início da década passada após conflitos armados.

A política de Moscou foi denunciada pela Geórgia como uma "anexação escondida" das regiões separatistas, que em suas respectivas guerras de secessão contaram com o apoio da Rússia.

"Nossas ações em relação à Abkhazia e à Ossétia do Sul não significam que a Rússia opte a favor do confronto com a Geórgia", disse o Ministério de Exteriores.

Segundo o comunicado, o "principal motivo" destas ações é "a preocupação pelos interesses da população da Abkhazia, da Ossétia do Sul e dos cidadãos russos que ali vivem".

Imediatamente após o anúncio da Chancelaria russa, o presidente da Geórgia, Mikhail Saakashvili, convocou uma reunião urgente do Conselho de Segurança Nacional para estudar uma resposta.

Em Sujumi, capital da Abkhazia, as notícias vindas de Moscou foram recebidas com satisfação.

"As instruções do presidente da Rússia ao Governo em relação à Abkhazia e à Ossétia do Sul são mais um passo rumo ao reconhecimento de nossas independências", disse à "Interfax" o ministro de Assuntos Exteriores do Governo instalado na Abkhazia, Serguei Shamba. EFE bsi/rr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG