MOSCOU - O chefe do Serviço Epidemiológico da Rússia, Gennady Onischenko, recomendou neste sábado aos cidadãos russos que não viajem à Espanha devido à gripe suína.

"Continuamos insistindo em que nossos cidadãos não viajem a Estados Unidos, México e Canadá. E, a partir de hoje, não recomendamos viajar à Espanha", disse Onischenko à agência "Interfax". Segundo o funcionário, na Espanha, foram registrados 100 casos de gripe suína.

"Cem casos já é algo sério. Pedimos a nossos cidadãos que renunciem a suas viagens à Espanha", disse o chefe do Serviço Epidemiológico, responsável também pelo controle veterinário e fitosanitário.

Onischenko disse que, nas últimas 24 horas, os casos de gripe suína aumentaram em 931, o que é motivo de preocupação.

Nos aeroportos russos, há um regime de controle sanitário para os passageiros proveniente do continente americano, assim como de terminais de outras regiões que servem de conexão para outros voos.

"Nas últimas 24 horas, examinamos mais de 6 mil passageiros. Não foram detestados casos de gripe A (H1N1) no território da Rússia", ressaltou o funcionário.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados.

Leia mais sobre: gripe suína

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.