Rússia rechaça declaração conjunta de ONU e Otan

Bruxelas, 8 out (EFE).- A Rússia disse hoje que não reconhece a legitimidade do documento conjunto assinado no final de setembro pelos secretários gerais da ONU, Ban Ki-moon, e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jaap de Hoop Scheffer, para firmar as bases da futura cooperação entre as duas organizações.

EFE |

O embaixador russo na Otan, Dmitri Rogozin, afirmou hoje em coletiva de imprensa que Ban "saiu de suas funções" ao assinar esse texto, em 23 de setembro durante a Assembléia Geral das Nações Unidas.

"Por isso, não reconhecemos a legitimidade deste documento", diz.

Rogozin disse que o documento foi assinado "em segredo" sem advertir à Rússia sobre seu conteúdo, um membro permanente do Conselho de Segurança, e disse que outros integrantes, como China, França e Reino Unido, também não foram advertidos.

Segundo Rogozin, o chanceler russo, Serguei Lavrov, pediu explicações a Ban, que se justificou dizendo que o documento "dá proteção aos países que duvidam sobre enviar contribuições ao Afeganistão, mas não querem ser alvo de extremistas", conforme explicou o embaixador.

"Ban Ki-moon não tem legitimidade para dar essa proteção", disse o embaixador russo na Aliança Atlântica.

De acordo com o diplomata, a declaração deveria fixar, na teoria, as relações entre os dois secretariados gerais, mas na realidade fala da cooperação prática futura entre ambas as organizações. EFE rcf/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG