Rússia reativa fornecimento de gás para a Europa

A companhia estatal russa de gás Gazprom reativou o fornecimento de gás para a Europa através de gasodutos na Ucrânia. Autoridades russas e analistas disseram que deve levar dois dias para que o suprimento volte a como era antes da disputa entre a Rússia e a Ucrânia, que provocou a suspensão do fornecimento.

BBC Brasil |

Centenas de milhares de pessoas foram afetadas pelo corte de gás e ficaram sem aquecimento na Europa, que atravessa um rigoroso inverno.

A Rússia cortou o fornecimento à Europa na quarta-feira passada, acusando a Ucrânia de estar roubando parte do gás enviado para a Europa e de dever dinheiro. A Ucrânia nega as acusações.

Os dois governos ainda discutem o preço a ser pago pela Ucrânia pelo gás russo, e o preço a ser pago pela Rússia pelo uso dos gasodutos ucranianos.

Milhares de pessoas em 15 países europeus agora esperam aliviar sua situação, depois de passar quase uma semana sem poder aquecer suas casas.

Os países mais duramente afetados foram a Sérvia e a Bósnia-Herzegóvina.

A União Européia (UE) importa um quarto de seu gás da Rússia, e 80% deste volume passa pela Ucrânia.

Representantes do bloco elogiaram a retomada do fornecimento. Segundo termos de um acordo mediado pela UE na segunda-feira, observadores do bloco e da Rússia irão monitorar o suprimento de gás do leste da Ucrânia até as fronteiras ocidentais do país, atendendo a temores russos de que a Ucrânia estaria desviando gás para uso doméstico.

O acordo foi assinado pela Rússia, Ucrânia e pela República Checa - que ocupa a Presidência da União Européia.

Nos países afetados pelos cortes de gás, entretanto, muitos ainda estão céticos quanto à retomada do fornecimento de gás.

Um acordo semelhante fechado na semana passada acabou não vingando.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG