Rússia reagirá ao esforço naval da Otan no Mar Negro, afirma Putin

A Rússia vai responder ao reforço da presença naval da Otan no Mar Negro, advertiu nesta terça-feira o primeiro-ministro russo Vladimir Putin, citado pelas agências de notícias russas.

AFP |

"A reação se fará com calma, sem qualquer histeria. Mas, obviamente, haverá uma reação", declarou Putin aos jornalistas durante uma visita a Tashkent, no Uzebequistão.

A região do Mar Negro está no centro das tensões entre Moscou e o Ocidente depois do conflito na Geórgia.

Em 27 de agosto pasasdo, o governo russo advertiu contra uma presença maior de navios da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Mar Negro em função da crise da Geórgia.

"Não há qualquer reforço da presença naval no Mar Negro como dizem as autoridasdes russas", respondeu, na ocasião, a porta-voz da Aliança Atlântica, Carmen Romero.

"É um deslocamento de rotina que havia sido planejado há um ano. A solicitação de trânsito pelos estreitos turcos (Bósforo e Dardanelos) foi apresentada em junho, muito antes da atual crise da Geórgia, e não tem nenhuma relação", acrescentou.

Na quarta-feira passada, Moscou anunciou a adoção de "precauções" contra os Estados Unidos e os navios da Otan no Mar Negro, mas que esperava que não acontecesse um confronto.

A Otan informou que o Grupo Marítimo Um da Otan no Mar Negro está integrado pela fragata espanhola "Almirante Don Juan de Borbón", a alemã "FGS Luebeck", a polonesa "General K Pulaski" e o destróier americano "USS Taylor".

Segundo a Otan, quatro de seus navios estão atualmente na costa da Romênia para exercícios conjuntos com as forças navais romena e búlgara.

"Estes navios não vão permanecer mais de 21 dias no Mar Negro. Isto demonstra que estes exercícios não vão aumentar a tensão como afirmam os russos", disse a porta-voz da Otan.

Romero explicou que a Aliança Atlântica estava a par de que dois navios de guerra americanos se encontram no Mar Negro para levar ajuda humanitária à Geórgia, mas não estão sob comando da Otan.

Também disse que a Otan está em contato permanente com a Turquia, encarregada de garantir o respeito da Convenção de Montreux - que data de antes da Segunda Guerra Mundial - que limita o número e o tipo de navios militares que podem navegar pelo Mar Negro.

loc-siu/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG