Rússia promete dinheiro para recuperar Ossétia do Sul

Por Gleb Bryanski MOSCOU (Reuters) - A Rússia gastará ao menos 400 milhões de dólares em 2008 para recuperar a semidestruída capital da Ossétia do Sul, Tskhinvali, afirmou na quarta-feira o ministro russo das Finanças, Alexei Kudrin.

Reuters |

A cidade, com uma população de cerca de 35 mil pessoas, foi palco do grosso dos cinco dias do conflito iniciado na sexta-feira, quando a Geórgia tentou retomar o controle sobre essa região pró-Rússia.

O governo russo respondeu lançando uma imensa contra-ofensiva.

Em declarações dadas durante um encontro de autoridades do primeiro escalão com o presidente russo, Dmitry Medvedev, Kudrin também prometeu pagar 2.000 dólares para cada uma das vítimas do conflito em Tskhinvali.

A ajuda financeira aprofundará ainda mais os vínculos econômicos entre a Rússia e a Ossétia do Sul. A estatal russa Gazprom, uma gigante do setor petrolífero, está construindo um oleoduto até a capital da região separatista e a rede de telefonia celular da Ossétia do Sul é operada por empresas russas.

Segundo Kudrin, a ajuda a Tskhinvali constaria do Orçamento de 2009 e não demandaria qualquer mudança no novo Orçamento de três anos, cujo projeto deve ser concluído neste mês.

'Temos reservas suficientes no Orçamento da Federação Russa. Isso nos permite distribuir o dinheiro necessário sem alterar o Orçamento', disse.

Equipes de emergência da Rússia já trabalham na região, e Kudrin afirmou que cerca de 20,5 milhões de dólares haviam sido reservados para dar ajuda imediata a refugiados que saíram da Ossétia do Sul.

Autoridades locais dizem que o dinheiro da Rússia já responde por até 60 por cento do Orçamento anual da região, que se separou do domínio georgiano em 1992. A Rússia descreve o envio de fundos como uma ajuda humanitária e para o desenvolvimento.

Segundo Kudrin, o governo russo avaliaria dentro das próximas semanas os danos sofridos pela Ossétia do Sul e apresentaria um plano de gastos mais detalhado. Cerca de 70 mil pessoas moravam na região antes do conflito.

A agência de refugiados da Organização das Nações Unidas (ONU) disse que quase 100 mil pessoas foram expulsas de suas casas pelo conflito deflagrado na Geórgia.

Autoridades russas na vizinha Ossétia do Norte afirmaram que 30 mil pessoas vindas da Ossétia do Sul encontram-se agora dentro da Federação Russa.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG