métodos militares contra escudo dos EUA - Mundo - iG" /

Rússia promete métodos militares contra escudo dos EUA

Por Guy Faulconbridge MOSCOU (Reuters) - A Rússia disse na terça-feira que usará meios militares caso os Estados Unidos instalem um sistema de defesa antimísseis perto de suas fronteiras, uma ameaça que segundo analistas visa estimular a oposição européia ao projeto.

Reuters |

A chancelaria russa disse que o Kremlin seria forçado a usar 'métodos técnico-militares' caso o Parlamento tcheco ratifique o acordo que autoriza a instalação de uma parte do sistema norte-americano.

'Se a real instalação de um escudo estratégico norte-americano de defesa antimísseis começar perto das nossas fronteiras, seremos forçados a reagir não com métodos diplomáticos, mas com métodos técnico-militares', disse a chancelaria em nota divulgada pelo site do ministério (www.mid.ru).

O texto diz que o escudo antimísseis iria afetar a segurança global e acusa Washington de ter ignorado as propostas de Moscou a respeito.

O analista militar Pavel Felgenhauer disse que a Rússia está usando a típica retórica da Guerra Fria para desestimular o Parlamento tcheco a ratificar o acordo.

'Por isso é tão pouco específico, mas soa ameaçador', disse ele. 'É pressão psicológica, o mesmo tipo usado na década de 1980 pela União Soviética, quando os Estados Unidos instalaram mísseis de cruzeiro na Europa, numa tentativa de estimular os protestos antimísseis e anti-EUA.'

O embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin, disse que a nota da chancelaria não implica uma ação militar, e sim uma mudança de 'postura estratégica'.

'É claro que não é o caso de se falar em ação militar', disse Churkin em Nova York.

O primeiro-ministro Vladimir Putin disse em 2007, quando era presidente da Rússia, que o país poderia voltar seus mísseis contra países europeus caso o escudo norte-americano fosse instalado.

Generais russos já ameaçaram instalar mísseis táticos na vizinha Belarus e retomar a produção de mísseis nucleares de curto e médio alcance como resposta aos planos norte-americanos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG