Rússia planeja militarizar o Ártico

A Rússia planeja mobilizar unidades militares e de seu serviço de Segurança (FSB, ex-KGB) no Ártico, uma região rica em hidrocarbonetos cobiçada por muitos países, segundo um documento oficial russo que pode ser consultado na internet.

AFP |

Esta estratégia foi aprovada pelo presidente russo Dmitri Medvedev no dia 18 de setembro de 2008, mas apenas recentemente foi divulgada na rede mundial de computadores.

"É necessário criar unidades militares (...) na zona do Ártico da Federação Russa, para assegurar sua segurança militar", e para isso o FSB deve se encarregar da "vigilância da costa", explica o documento.

"O Pólo Norte está se tornando um ponto crítico", indica em sua edição desta sexta-feira o jornal russo Kommersant.

O Conselho russo de Segurança rejeitou, no entanto, essa interpretação, em uma nota transmitida à AFP.

"Não se trata de militarizar o Ártico", e sim de uma estratégia que aponta para a "defesa dos interesses nacionais" russos, indica a nota.

Moscou espera "usar a zona do Ártico (...) como base estratégica de recursos", para satisfazer suas necessidades em "hidrocarbonetos, recursos biológicos, água e todo tipo de matérias primas estratégicas", indica o documento divulgado na internet.

A Rússia exige a extensão de sua zona econômica no Ártico, mas essa exigência vai de encontro aos interesses de outros quatro países cujos territórios se estendem ao Pólo Norte: Estados Unidos, Canadá, Dinamarca (através da Groenlândia) e Noruega.

A Rússia efetuou uma ação espetacular, fincando sua bandeira a cerca de 4.000 metros no interior do Pólo Norte, para respaldar suas reivindicações.

Segundo diversos estudos, o aquecimento global permitirá a exploração do Ártico e seu uso para a navegação.

alf/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG