Rússia pede que Coreia do Norte volte às negociações

Moscou, 27 mai (EFE).- A Rússia pediu hoje que a Coreia do Norte, país com o qual compartilha 20 quilômetros de fronteira, volte à mesa de negociações multilaterais para a desnuclearização da península coreana.

EFE |

Com esse objetivo, a Chancelaria russa convocou o embaixador norte-coreano em Moscou, Kim Yen-jue, que se reuniu com o vice-ministro de Exteriores russo, Alexei Borodavkin, segundo a agência "Interfax".

"Defendeu-se a retomada das negociações a seis lados para a desnuclearização da península coreana, a fim de encontrar uma solução político-diplomático para o problema de segurança na região", afirma o comunicado do Ministério de Exteriores russo.

O processo de negociação a seis lados - com participação das duas Coreias, China, EUA, Rússia e Japão -, iniciado em Pequim, em 2003, está paralisado desde dezembro do ano passado, por causa das divergências sobre como verificar o estoque nuclear do regime comunista.

Durante a reunião de hoje, "a Chancelaria manifestou ao embaixador norte-coreano a grave preocupação da parte russa com o teste nuclear subterrâneo realizado em 25 de maio, os lançamentos de mísseis de curto alcance e as declarações da Coreia do Norte sobre a retomada de seu programa nuclear".

"A tensão surgida como resultado dessas ações no nordeste da Ásia não responde aos interesses de nenhum dos estados da região, por isso será necessário adotar medidas urgentes para sua distensão", afirma.

Além disso, Moscou "pediu a Pyongyang para assumir uma postura responsável, não permitir o menosprezo do regime de não-proliferação de armas de destruição em massa e respeitar as resoluções do Conselho de Segurança da ONU".

Borodavkin havia afirmado na véspera à "Interfax" que a Rússia não adotará sanções unilaterais contra a Coreia do Norte pelo teste nuclear.

O Kremlin condenou na segunda-feira o teste nuclear realizado pela Coreia do Norte, e pediu para os dirigentes norte-coreanos respeitarem as resoluções da ONU. EFE io/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG