Rússia não reforçará frota do Báltico

Moscou, 21 jan (EFE).- A Rússia não reforçará a frota do Báltico, em resposta ao posicionamento nos próximos meses no nordeste da Polônia de mísseis americanos Patriot, disse hoje o Ministério da Defesa russo à agência Interfax.

EFE |

O ministério saía assim à margem das informações que surgiram na imprensa russa sobre que a frota do Báltico mobilizaria em breve novos navios, submarinos e aviões para fazer frente à ameaça.

"Todas as atividades de rearmamento e modernização das frotas russas, incluindo a do Báltico, acontecem segundo o planejado no programa estatal de transição a novas Forças Armadas", disse a fonte.

O ex-chefe do Estado-Maior das Forças Armadas russas Anatoli Kornukov afirmou hoje que a decisão de posicionar Patriot no nordeste polonês, a cerca de 100 quilômetros do enclave russo de Kaliningrado, diz respeito mais a motivações políticas do que militares.

"Para os EUA, esse passo é uma tentativa de salvar a cara e a autoridade aos olhos dos dirigentes poloneses, após a recusa em colocar na Polônia elementos do sistema antimísseis", disse.

O militar se mostrou convencido de que os EUA colocarão em território polonês os modelos antigos do Patriot, por isso "não decidirão nada".

"Acho que não há razão para se preocupar. Nossos S-300 (baterias antimísseis russas) são melhores", disse. EFE io/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG