Rússia não comenta detenções de supostos espiões nos EUA

Departamento de Justiça diz que acusados viveram durante anos nos EUA em um programa secreto de espionagem

EFE |

O Serviço de Espionagem Exterior (SEE) da Rússia declarou nesta terça-feira que não vai comentar a detenção nos Estados Unidos de pessoas suspeitas de atuar como agentes do governo russo em território americano de maneira ilegal.

"Nós não comentamos essas informações", disse à agência "Interfax" o chefe do escritório de imprensa do SEE, Serguei Ivanov, se referindo ao anúncio do Departamento de Justiça americana sobre a detenção dos suspeitos.

Segundo as autoridades americanas, oito das pessoas foram detidas no domingo acusadas de realizar durante um "longo período de tempo" missões encobertas nos Estados Unidos atuando como agentes para a Rússia.

Além disso, outras duas pessoas foram detidas por suposta participação em um programa para a inteligência russa dentro do país.

Onze pessoas, incluindo os dez detidos no domingo, são acusados em duas causas criminais apresentadas separadamente com acusações de "conspiração" por atuar de maneira "ilegal" como agentes russos em território americano.

Nove dos detidos enfrentam, além disso, acusações por "lavagem de dinheiro". "A espetacular desarticulação da suposta 'rede de espionagem russa' causou estupor e perplexidade nos Estados Unidos, e ressuscitou as lembranças dos tempos da Guerra Fria", comentou nesta terça-feira o jornal digital russo "News.ru.com".

    Leia tudo sobre: RússiaEstados UnidosEspionagem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG