Bruxelas, 19 ago (EFE).- O alto representante para Política Externa e Segurança Comum da União Européia (UE), Javier Solana, considerou hoje que a Rússia não geriu de forma apropriada a crise da Geórgia, e que seu comportamento foi além das linhas que esperavam.

Em declarações aos jornalistas, Solana disse que, segundo as informações que tem, as tropas russas deslocadas à Geórgia "começaram a se movimentar", e acredita que a retirada militar se acelerará "ao longo do dia".

Perguntado pelos jornalistas sobre os efeitos que esta crise pode ter sobre as relações da União Européia (UE) com a Rússia, afirmou que vão "fazer uma análise e tirar conclusões".

"Nossa energia, nossa atividade política, está dedicada (neste momento) a conseguir um cessar-fogo que seja durável, permanente", disse Solana.

Sobre o envio de efetivos europeus à zona, Solana disse que a UE está preparada, mas ressaltou que, para isso, é necessário um mandato ou resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) ou da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE).

Nesse sentido, lembrou que, nos últimos dias, há movimentações em Nova York para conseguir uma resolução, e para isso é necessário que os membros do Conselho de Segurança da ONU, que inclui a Rússia, cheguem a um acordo.

No entanto, admitiu que "há pontos difíceis para chegar a uma resolução".

O chefe da diplomacia européia insistiu em que a prioridade é conseguir um cessar-fogo permanente e que, a partir disso, é possível "entrar em outra fase" que implique no desdobramento de efetivos da OSCE ou da UE, para manter a situação.

Por último, abriria passagem para uma fase política que, "no final, terá que dar resoluções sobre este conflito", que, na sua opinião, deixou de ser um "conflito congelado".

O alto representante da UE aproveitará hoje a presença, em Bruxelas, da secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, por ocasião da reunião de ministros de Exteriores da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), para analisar com ela a situação na Geórgia.

Solana e Rice realizarão um encontro com o ministro de Exteriores francês, Bernard Kouchner, cujo país preside este semestre a UE, e depois terão uma reunião bilateral.

O chefe da diplomacia européia também deve se reunir hoje com representantes da ONU e da OSCE. EFE rja/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.