Rússia manterá tropas em área de segurança entre Geórgia e Ossétia do Sul

Moscou, 3 set (EFE).- A Rússia manterá suas tropas na área de segurança entre Geórgia e a separatista Ossétia do Sul até a criação de um contingente policial internacional, afirmou hoje o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov.

EFE |

"Estamos interessados em cumprir o plano Sarkozy-Medvedev o mais rápido possível. Neste plano está escrito de forma clara que, até que sejam criados os mecanismos internacionais, as tropas russas devem garantir medidas adicionais de segurança", declarou Lavrov em entrevista coletiva.

Na sua opinião, estes mecanismos internacionais contemplarão "um regime pactuado na zona de segurança" entre Geórgia e Ossétia do Sul, o que incluiria "sua desmilitarização".

Além disso, também deveria haver a obrigatoriedade de que as partes assinem um documento no qual renunciem ao uso da força militar.

"É muito estranho ouvir que devemos ir embora. Ali não há por enquanto um mecanismo internacional. Quando o mesmo for criado, se cumprirá o quinto ponto do plano", disse.

Segundo este quinto ponto do plano firmado em meados de agosto pelos presidentes da Rússia, Dmitri Medvedev, e da França, Nicolas Sarkozy, as tropas russas devem ser retiradas para a linha que existia antes da explosão do conflito, no dia 8 de agosto.

No entanto, se contempla a possibilidade de que estas possam tomar medidas de segurança adicionais até a criação dos mecanismos internacionais correspondentes.

Neste sentido, Lavrov expressou sua satisfação pela decisão da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) de criar um contingente policial e enviar observadores militares para a região e expressou seu desejo de que a União Européia (UE) tome parte ativa nesta missão.

Já o ministro de Relações Exteriores da Bélgica, Karel de Gutch, afirmou hoje que a UE deseja que o contingente policial internacional seja posicionado não apenas na área de segurança, mas também nas separatistas Ossétia do Sul e Abkházia.

"A opinião da Federação Russa é que são regiões independentes. A UE considera que são parte inalienável da Geórgia. Entretanto, estes assuntos devem ser solucionados no âmbito das conversas", declarou em entrevista coletiva após se reunir com Lavrov.

A isso Lavrov respondeu: "Esse tema não nos compete. Isto corresponde à Ossétia do Sul e à Abkházia".

A este respeito, o chefe da diplomacia da Ossétia do Sul afirmou que na sua localidade "não haverá nenhum soldado ocidental de pacificação e nenhuma força policial internacional".

"Este assunto nem se discute. A Ossétia do Sul confia plenamente nas forças de paz russas e considera que são fiadores de sua segurança, o que foi confirmado recentemente em relação à agressão georgiana contra a república", declarou. EFE io/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG