Rússia lamenta decisão da UE de congelar negociações

A Rússia lamentou a decisão da União Européia (UE) de congelar as negociações para renovar o acordo de associação estratégica entre as duas partes por causa do conflito com a Geórgia, ao mesmo tempo que a imprensa de Moscou celebrou o êxito do Kremlin por ter evitado as sanções européias.

AFP |

As discussões permanecerão suspensas até que as tropas russas se retirem totalmente da Geórgia, definiu a UE em uma reunião de cúpula extraordinária na segunda-feira em Bruxelas.

"É de lamentar a intenção de congelar as negociações sobre um novo acordo de associação, apesar de nos últimos dois anos a Rússia estar acostumada aos obstáculos artificiais à assinatura deste documento", afirma um comunicado do ministério russo das Relações Exteriores.

"Nossa associação com a UE não deve ser refém de divergências de opinião sobre esta ou aquela questão", acrescenta a nota, que também comemora a "atitude responsável" da UE de não ter adotado sanções econômicas.

"Moscou está disposta a manter uma cooperação constructiva e leal".

"Claro que não podemos aceitar certas afirmações da declaração final da reunião, entre elas a tese sobre nossa 'reação desproporcional' à agressão cometida pela Geórgia", prossegue o comunicado.

"Porém, o essencial é que os países que pediram sanções ficaram em minoria e uma maioria dos países membros da UE deram mostras de responsabilidade e confirmaram a política de cooperação com a Rússia", completa.

Os jornais russos elogiaram a "vitória" diplomática do governo.

O tablóide Tvoi Den afirma que a "Europa pode continuar sugando nosso petroléo e gás". Na primeira página foi publicada uma charge do premier britânico Gordon Brown, seu chanceler David Miliband e do presidente polonêo Lech Kaczynski com a legenda "A UE não se rendeu aos histéricos".

Já o Vremya Novostei afirmou que "a UE repreendeu a Rússia apenas com palavras".

Moscou espera que os problemas sobre a aplicação do acordo de paz negociado para solucionar o conflito com a Geórgia sejam examinados com detalhes na reunião da próxima saegunda-feira entre os presidentes russo, Dmitri Medvedev, e francês, Nicolas Sarkozy.

"O fato da UE não ter adotado sanções parece demonstrar, pelo menos até o momento, uma clara vitória dos partidários do diálogo com Moscou", destaca o jornal Rossiiskaya Gazeta.

"A dependência mútua entre a UE e a Rússia não deixa outra alternativa que a de desenvolver estreitas relações bilaterais. Isto foi confirmado novamente na reunião de Bruxelas", completa.

burs-dt/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG