A Rússia exibiu nesta quarta-feira pela primeira vez uma entrevista na TV do marechal Gueorgi Jukov, que foi proibida na época da União Soviética e na qual ele afirma que a URSS esteve muito próxima de ser derrotada plos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial." /

A Rússia exibiu nesta quarta-feira pela primeira vez uma entrevista na TV do marechal Gueorgi Jukov, que foi proibida na época da União Soviética e na qual ele afirma que a URSS esteve muito próxima de ser derrotada plos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial." /

Rússia exibe entrevista censurada de Gueorgi Yukov, herói da 2a. Guerra

A Rússia exibiu nesta quarta-feira pela primeira vez uma entrevista na TV do marechal Gueorgi Jukov, que foi proibida na época da União Soviética e na qual ele afirma que a URSS esteve muito próxima de ser derrotada plos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

AFP |

A Rússia exibiu nesta quarta-feira pela primeira vez uma entrevista na TV do marechal Gueorgi Jukov, que foi proibida na época da União Soviética e na qual ele afirma que a URSS esteve muito próxima de ser derrotada plos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

O documento, gravado em 1966, foi exibido a poucos dias do grande desfile militar (9 de maio) em Moscou para celebrar o 65º aniversário da vitória dos aliados sobre as tropas de Adolf Hitler, para o qual são esperados muitos chefes de Estado e de Governo.

Na entrevista, emitida pelo canal Pervyi Kanal, o marechal Jukov (1896-1974) declara que os generais soviéticos não tinham muita certeza de que o Exército Vermelho conseguiria impedir a Wehrmacht de ultrapassar a linha de defesa de Mojaisk (110 km ao oeste de Moscou) e chegar à capital.

"Se os comandantes confiavam que poderíamos manter esta linha de defesa e dener o inimigo? Devo dizer francamente que não estávamos de todo seguros", admitiu Jukov.

"Teria sido possível conter as unidades iniciais do inimigo, mas se tivessem enviado rapidamente suas principais forças, teria sido difícil detê-los", confessou o militar ao jornalista e escritor russo Konstantin Simonov.

O marechal Jukov, que comandou a defesa de Moscou, contou como o líder da União Soviética da época, Joseph Stalin, o convocou à capital em outubro de 1941 para transmitir suas preocupações.

"Stalin estava gripado, mas trabalhava. Mostrou o mapa da frente e disse 'olhe a situação na frente oeste. Não consigo receber a mínima informação sobre o que acontece lá no momento", recordou.

Ao chegar à frente, Jukov percebeu que a defesa era "muito insuficiente".

"Era uma situação extremamente perigosa. Nossas tropas na linha de defesa Mojaisk não poderiam ter detido o inimigo se ele se movimentasse para Moscou".

"Mas a Wehrmacht se superestimou e subestimou as tropas soviéticas", comentou Jukov, ao lembrar das rigorosas condições meteorológicas da Rússia - o frio e a lama - e do papel determinante que tiveram na derrota da Alemanha nazista.

O marechal participou no ataque final sobre a Alemanha em 1945.

Após a morte de Stalin em 1953, que o afastou do comando por considerá-lo muito popular, Jukov foi ministro da Defesa.

As autoridades soviéticas haviam ordenado a destruição do filme com a entrevista de Simonov, mas um trecho foi mantido nos arquivos.

sjw-bfi/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG