Rússia encerra operação antiterror na Chechênia

O Comitê Nacional Antiterrorismo da Rússia anunciou nesta quarta-feira que o país encerrou sua operação antiterrorismo na Chechênia, que já durava dez anos.

BBC Brasil |

Representantes do órgão disseram à imprensa russa que a decisão tem por objetivo "criar condições para melhorar ainda mais a normalização da situação na região, além de restaurar e desenvolver sua infraestrutura econômica e social".

Desde o fim da União Soviética, em 1994, forças russas realizaram duas grandes ofensivas contra rebeldes separatistas na Chechênia, uma república que é predominantemente muçulmana.

Mas em março, o presidente russo, Dmitry Medvedev, pediu aos serviços de segurança para considerar a hipótese de encerrar a operação, argumentando que a situação na Chechênia havia "avançado bastante para uma estabilização".

"Precisamos criar novas oportunidades de investimentos e empregos na região", disse Medvedev a membros de seu governo, em um pronunciamento transmitido pela rede de televisão estatal russa.

Estabilidade

O presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov, que é aliado do governo russo, afirmou estar "satisfeito" com a notícia do fim das operações.

"A liderança da Rússia confirmou oficialmente o fato de que o ninho do terrorismo foi desmantelado, que grupos armados ilegais foram neutralizados, e que líderes militantes, em cuja consciência moram o luto e o sofrimento de milhares de pessoas, foram aniquilados, presos e levados a julgamento", afirmou Kadyrov.

"Agora, a Chechênia... é um território pacífico e em desenvolvimento, e o cancelamento da operação antiterrorismo só vai promover o crescimento econômico da República."

Entretanto, confrontos esporádicos entre soldados e rebeldes ainda ocorrem, e a violência continua nas repúblicas vizinhas do Daguestão e da Inguchétia.

Além disso, grupos de defesa dos direitos humanos criticam Kadyrov, a quem acusam de abusos.

Segundo o correspondente da BBC em Moscou, Richard Galpin, o anúncio do encerramento das operações é um momento de grande simbolismo, mas que, de fato, a Chechênia tem estado estável há algum tempo.

Os rebeldes que vinham lutando pela independência da república nos últimos 15 anos não conseguiram realizar nenhum grande ataque desde 2004.

Galpin afirma ainda que hoje, os rebeldes estão confinados nas montanhas do território, enquanto a capital, Grosny, está sendo rapidamente reconstruída.

O fim da operação russa na Chechênia deve "relaxar" restrições como toques de recolher, bloqueios a estradas e rondas esporádicas.

O Comitê Antiterrorismo, no entanto, não informou quantos soldados devem permanecer no território.

Leia mais sobre Chechênia

    Leia tudo sobre: chechênia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG