Rússia elogia disposição de diálogo do Irã à oferta do Grupo dos Seis

Moscou, 9 jul (EFE).- A Rússia declarou hoje que o Irã expressou sua disposição ao diálogo em sua resposta à oferta do chamado Grupo dos Seis (formado pelos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU e a Alemanha) na polêmica sobre o programa atômico de Teerã.

EFE |

"A quintessência do sinal que recebemos do Irã é sua disposição para as negociações", afirmou o vice-ministro de Assuntos Exteriores russo, Serguei Kisliak.

O diplomata não comentou as denúncias de outros países de que o Irã não menciona a suspensão de suas atividades nucleares sensíveis, reivindicada pela comunidade internacional, e destacou apenas que o problema iraniano deve ser resolvido pelo diálogo.

"Agora precisamos ver que desenvolvimento terá esse sinal iraniano, pois atualmente todos temos os ingredientes para conversas sérias e positivas com o Irã", disse Kisliak.

Kisliak não revelou a resposta de Teerã, e disse que o Irã "também deu várias respostas", por isso considerou necessária uma reunião com a parte iraniana "para revisar todas as opções existentes".

"Tanto o Irã quanto o 'sexteto' estão interessados em começar a se reunir. É preciso decidir como iniciaremos o diálogo", insistiu Kisliak, cujo país está construindo para o regime dos aiatolás sua primeira usina nuclear, Bushehr, às margens do Golfo Pérsico.

O diplomata acrescentou que "hoje foram criadas as premissas para iniciar a busca de uma solução mutuamente aceitável, que atenda aos interesses a longo prazo do Irã e da comunidade internacional".

Em sua oferta de incentivos ao Irã para renunciar a seu programa de enriquecimento do urânio, o Grupo dos Seis (formado por Estados Unidos, França, Reino Unido, Rússia, China e Alemanha) condicionaram a abertura de negociações à suspensão, por Teerã, dessas atividades.

O ministro de Assuntos Exteriores francês, Bernard Kouchner, que na segunda-feira recebeu em Paris o chanceler iraniano, Manouchehr Mottaki, disse que essa mensagem "traz uma pequena esperança".

O Irã tem indicado repetidamente que está disposto a negociar, mas sem renunciar a seu direito de prosseguir seu programa nuclear, que diz ser pacífico, enquanto os países ocidentais suspeitam que Teerã quer se dotar de armas atômicas.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, denunciou recentemente como "ilegítima" a exigência do Grupo dos Seis, para que Teerã suspenda seu programa de enriquecimento de urânio. EFE si/wr/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG