Rússia e UE repassam relações bilaterais e cooperação com a Otan

Moscou, 11 fev (EFE).- A delegação de Relações Exteriores da União Europeia (UE) e o chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, repassaram hoje em Moscou assuntos relativos à segurança da Europa, à situação no Oriente Médio e às relações da Rússia com a UE, a Organização Tratado do Atlântico Norte (Otan) e os Estados Unidos.

EFE |

"O mais importante é que as relações entre Rússia e a Otan voltem ao seu curso normal", disse Lavrov, em referência ao conflito de agosto do ano passado contra a Geórgia.

Por outra parte, disse que a Rússia está disposta a cooperar estreitamente com a Otan e em particular, com os Estados Unidos, para normalizar o tráfego de cargas não-militares no Afeganistão.

Quanto ao Oriente Médio, Lavrov disse que Rússia e União Europeia defendem posturas "praticamente idênticas" e acrescentou que o trabalho de ambas no Quarteto avança de forma coordenada.

"Estamos de acordo com a UE em apoiar os esforços do Egito para garantir o caráter bilateral do cessar-fogo, a prevenção de novos surtos de violência e o restabelecimento do funcionamento normal na Faixa de Gaza", acrescentou.

Lavrov também afirmou hoje que seu país posicionará foguetes Iskander no enclave báltico de Kaliningrado, próximo à Polônia apenas se os Estados Unidos instalarem "fisicamente" elementos de seu escudo antimísseis na Europa.

O chefe da diplomacia russa deu esta declaração em entrevista coletiva ao fim de um encontro com a delegação de relações exteriores da União Europeia e o alto representante para a Política Externa da UE, Javier Solana.

Segundo Lavrov, o sistema de defesa antimísseis americano não foi abordado hoje na pauta da reunião, mas simplesmente mencionado "entre os problemas que surgem no âmbito da segurança europeia".

O ministro russo negou que a ideia de instalar os Iskander em Kaliningrado, ponto mais ocidental do país, seja qualquer "espécie de ameaça" ao Ocidente, afirmando que se trata apenas de uma "necessidade de garantir a própria segurança".

Por sua parte, o ministro de Relações Exteriores tcheco, Karel Schwarzenberg, cujo país exerce a Presidência rotativa da União Europeia e no qual será instalada uma estação de radar do escudo americano, afirmou que este sistema não aponta nem constitui uma ameaça à Rússia. EFE egw/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG