Suposto suicida que matou 35 em aeroporto teria 20 anos e seria da região separatista do Cáucaso

Investigadores russos afirmaram neste sábado ter identificado o suposto autor do ataque em um aeroporto de Moscou, realizado na segunda-feira (24). O atentado deixou ao menos 35 mortos.

De acordo com o porta-voz do comitê que investiga o caso, Vladimir Markin, o autor do ataque suicida tinha 20 anos e era da região separatista do Cáucaso. Seu nome, porém, não será revelado enquanto a investigação não for concluída.

O atentado no aeroporto de Domodedovo ocorreu na movimentada área de desembarque internacional, por volta das 16h40 no horário local (11h40 de Brasília). A polícia procura três suspeitos de envolvimento no ataque que também seriam da região separatista do Cáucaso. Domodedovo é o aeroporto mais movimentado de Moscou, sendo utilizado por muitos executivos e turistas. Ele está localizado a 42 km do centro da capital russa. No terminal, que teve de ser fechado em dezembro do ano passado após um corte de energia elétrica, operam 76 companhias russas e estrangeiras.


Após o ataque, o presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, anunciou a demissão de Andrei Alexeev do cargo de chefe do Departamento de Transporte do Ministério do Interior no distrito federal central. Além disso, foram dispensados outros três funcionários do ministério no aeroporto de Domodedovo.

"Aqueles que não trabalham como deveriam serão punidos", afirmou Medvedev. "Isto não acaba aqui: estes são apenas os (funcionários que têm) cargos superiores".

Medvedev ressaltou que a segurança "deve ser garantida todos os dias, como se faz em todo país no qual existe uma séria ameaça terrorista". "O mais importante agora é fazer todo o possível para que uma tragédia destas características não se repita", afirmou.

O líder disse que a situação da segurança nos transportes é "insatisfatória". Em março de 2010, um duplo atentado terrorista suicida tirou a vida de 40 pessoas e deixou mais de 100 feridas em duas estações do metrô moscovita.

Com Reuters e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.