Rússia diz que não arquivou plano para mísseis no Leste Europeu

ZURIQUE (Reuters) - O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas russas disse nesta segunda-feira que seu país não abandonou os planos para instalar mísseis perto da fronteira com a Polônia, apesar dos EUA terem desistido de instalar um escudo antimísseis no Leste Europeu. O projeto norte-americano incomodava a Rússia, por interferir na sua tradicional esfera de interesses, e como reação Moscou pretendia instalar mísseis de curto alcance Inskander no seu encrave de Kaliningrado.

Reuters |

No sábado, o vice-ministro russo da Defesa, Vladimir Popovkin, disse em entrevista que "naturalmente iremos abandonar as medidas que a Rússia pretendia tomar," como reação à decisão norte-americana, e citou especificamente a instalação dos mísseis Iskander.

Mas na segunda-feira, ao ser consultado sobre o assunto, o general Nikolai Makarov disse: "Não houve tal decisão. Deve ser uma decisão política. Precisa ser tomada pelo presidente."

Ele explicou a jornalistas que o acompanhavam num voo de Moscou a Zurique que os norte-americanos "não desistiram do escudo antimísseis; eles o substituíram por um componente baseado no mar."

O general acompanha o presidente Dmitry Medvedev numa viagem à Suíça.

É muito raro que dois funcionários russos de alto escalão se contradigam publicamente em questões de segurança nacional e importância internacional.

Algumas fontes sugerem que o general contradisse Popovkin para enfatizar que uma decisão tão importante só deveria ser tomada pelo presidente e não poderia ser anunciada por um mero vice-ministro.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG