Rússia diz que está pronta para retomar os laços com a Otan

MOSCOU (Reuters) - O enviado da Rússia à Otan disse nesta sexta-feira que o país está pronto para seguir em frente na restauração dos laços com a Organização do Tratado do Atlântico Norte, apesar das expulsões de diplomatas de ambas as partes e exercícios militares controversos na Geórgia. Dmitry Rogozin disse que as expulsões dos dois russos de Bruxelas e de dois oficiais da Otan de Moscou, assim como os exercícios da organização, poderiam ser parte de uma trama para sabotar a política do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, de melhorar as relações.

Reuters |

"É tempo de colocar um fim nesta história e restaurar as relações o mais rápido possível", disse Rogozin, de Bruxelas, em uma transmissão de vídeo a jornalistas de Moscou. "Nós seguiremos em frente com a restauração das relações."

A Otan congelou os contatos com Moscou após a guerra de cinco dias da Rússia com a Geórgia no ano passado, mas retomou os diálogos formais no dia 29 de abril, mesmo dia que a organização informou a Moscou que estava expulsando dois diplomatas russos.

A disputa encerrou um plano de realização do primeiro encontro ministerial entre Moscou e a Otan neste mês. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, decidiu não ir a Bruxelas.

Rogozin disse que a decisão de Lavrov não era determinante para as relações com a Otan.

"Não achamos que a Otan está perdida para nós como parceira", disse ele.

(Reportagem de Oleg Shchedrov)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG