Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Rússia diz que entrada de Ucrânia e Geórgia na Otan seria um erro estratégico

MOSCOU -A Rússia advertiu hoje que a entrada de Ucrânia e Geórgia na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) seria um grande erro estratégico, depois que líderes da Aliança anunciaram que iniciarão consultas com as duas ex-repúblicas soviéticas para uma futura adesão.

EFE |

"O ingresso desses países na Aliança será um grande erro estratégico que causará as mais graves seqüelas para a segurança européia", afirmou o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Alexander Grushko.

A Rússia expressou hoje sua satisfação com a decisão da Otan de não incluir a Ucrânia e a Geórgia no Plano de Ação para a adesão ao bloco, considerado um dos últimos passos para a entrada desses países na Aliança Atlântica.

"O fato de que hoje não se tenha tomado essa decisão demonstra que na Otan ainda existem forças sãs, capazes de valorizar as relações entre a Rússia e a Aliança", disse, em Bucareste, Konstantin Kosachov, presidente do comitê de Exteriores da Duma (Parlamento Russo) Kosachov ressaltou o fato de "Alemanha, França e outros países europeus, ao contrário dos Estados Unidos, terem se manifestado contra a antecipação na hora de conceder o Plano de Ação à Ucrânia e à Geórgia".

Além disso, elogiou a "responsabilidade e a vontade" dos alemães e franceses ao perceber a importância de "manter relações normais com a Rússia".

O representante russo afirmou que seu país fará tudo o que for possível para "persuadir os dirigentes da Otan da inconveniência da expansão para o Leste, através dessas ex-repúblicas soviéticas".

Segundo Kosachov, "este tema será colocado na pauta de todas as próximas cúpulas da Otan". Para isso, ele afirmou que a Rússia "deve prosseguir seu trabalho com a Otan e a Ucrânia para encontrar uma solução aceitável e universal na esfera da segurança, e não dividir o mundo em blocos".

Embora a Ucrânia e a Geórgia não tenham realizado seu desejo de serem incluídos no Plano de Ação, o secretário-geral da Otan, Jaap de Hoop Scheffer, afirmou que os líderes aliados reconhecem o direito de ambos os países de se tornarem membros da Aliança.

A Rússia sempre foi contra a entrada da Ucrânia e da Geórgia na Otan e, inclusive, ameaçou dirigir seus mísseis contra esses países caso acolham bases militares da Aliança.

Leia tudo sobre: rússia

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG