Rússia diz que detenção e futuro de Karadzic são assuntos internos da Sérvia

Moscou, 22 jul (EFE).- O Ministério de Assuntos Exteriores da Rússia declarou hoje que a detenção e o futuro do ex-líder servo-bósnio e suposto criminoso de guerra Radovan Karadzic é um assunto interno da Sérvia.

EFE |

"Para nós, trata-se de um assunto interno da Sérvia e da direção sérvia. A Sérvia deve decidir por conta própria o futuro de Karadzic, incluindo sua possível entrega ao Tribunal Internacional de Haia", disse um porta-voz da Chancelaria à agência "Itar-Tass".

O representante permanente da Rússia na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), o nacionalista Dmitri Rogózin, afirmou que junto a Karadzic deveriam ser julgados por crimes de guerra os políticos ocidentais que ordenaram em 1999 a campanha aérea da Otan na Iugoslávia.

"Se Karadzic merece ser processado em Haia, deveriam se sentar junto a ele no banco dos réus os que tomaram a decisão sobre os bombardeios dos civis inocentes, os quais centenas morreram durante aquela campanha ocidental de 'democratização' dos Bálcãs", afirmou o funcionário.

Rogózin repetiu a conhecida tese russa sobre a "atitude parcial" do Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII), que na opinião de Moscou dá prioridade à perseguição dos sérvios e ultrapassou há tempos seu próprio mandato.

"Se analisamos quem essa corte detém e quem põe em liberdade por 'falta de provas', veremos que a atitude dos juízes do Tribunal de Haia mantém preconceitos", disse Rogózin de Bruxelas à agência "Interfax".

A Chancelaria e o Parlamento da Rússia exigiram em 1999 o processo pelas operações bélicas na Iugoslávia do então secretário-geral da Otan e atual chefe da diplomacia européia, Javier Solana. EFE se/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG