Madri, 4 fev (EFE).- O embaixador da Rússia na Espanha, Alexander Kuznetsov, afirmou hoje que a aproximação aos países da América Latina como Venezuela ou Cuba não deve ser motivo de preocupação, alegando que o Brasil é seu grande parceiro estratégico na região, por sua vocação de ser uma potência global.

Ele lembrou que a Rússia e Brasil, junto a Índia e China, fazem parte do chamado Bric, que agrupa os países emergentes com maior potencial de crescimento no médio prazo.

"O resto, é preciso ver caso por caso", especificou.

Segundo ele, a nova política russa para a América Latina "não deve representar nenhum tipo de preocupação", especialmente , para os Estados Unidos.

Segundo o embaixador, esta estratégia não responde a "nenhum componente ideológico" relativo à época da Guerra Fria, mas a "elementos mais pragmáticos" no marco de um mundo cada vez mais multipolar.

Sobre Cuba, Kuznetsov disse que "a aliança ideológica da Guerra Fria já não existe", embora seu país não renuncie à relação "muito íntima que uniu ambos os povos durante aquele período histórico".

Insistiu em que a visita a Moscou do presidente cubano, Raúl Castro, surge de "elementos mais pragmáticos", especialmente econômicos.

Kuznetsov insistiu em que "o mesmo acontece com a Venezuela", embora tenha especificado que, neste caso, foi o presidente venezuelano, Hugo Chávez, que tomou a iniciativa nos acordos sobre armamento e energia. EFE cpg/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.