Moscou, 2 set (EFE).- O Ministério de Assuntos Exteriores russo disse hoje que o principal resultado da cúpula extraordinária da União Européia (UE) sobre o conflito na Geórgia é que a maioria de seus países-membros manifestou uma postura responsável e ratificou a política para a cooperação com a Rússia.

Após afirmar que não faltaram chamadas de vários países para implantar sanções contra a Rússia e congelar as relações, a Chancelaria russa destacou que "o importante, no entanto, é que ficaram em minoria".

"A maioria dos países-membros da UE teve uma postura responsável e ratificou a política de cooperação com a Rússia, consciente da importância da colaboração em benefício mútuo, dentro da qual se conseguiu muito nos últimos anos", destaca o comunicado do Ministério de Exteriores, citado pelas agências russas.

O documento também ressalta que a Rússia não pode estar de acordo com uma série de constatações prejulgadas contidas na declaração final da cúpula da UE, incluindo a tese sobre a "reação desproporcional" russa perante a agressão da Geórgia contra a Ossétia do Sul.

"A propósito, (a cúpula da UE) não deu a avaliação que as ações de Tbilisi mereciam, assim como as daqueles que forneceram armamento à Geórgia, transgredindo as normas da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) e da UE", acrescentou o comunicado.

O Ministério de Assuntos Exteriores russo lamentou o propósito da União Européia de adiar a próxima rodada de negociações de um novo acordo marco com a Rússia.

A União Européia decidiu adiar essas negociações até que a Rússia retire suas tropas de território georgiano para as posições que tinham em 7 de agosto, quando começou a crise na Geórgia. EFE bsi/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.