Rússia desiste de entregar mísseis antiaéreos S-300 ao Irã

Moscou afirma que sanções da ONU aprovadas recentemente contra o país persa a impedem de concretizar venda do armamento

iG São Paulo |

A Rússia renunciou ao projeto de entregar mísseis S-300 ao Irã, em consequência das sanções internacionais contra a venda deste tipo de armamento a Teerã, declarou o comandante do Estado-Maior russo, o general Nicolai Makarvov

"Tomamos a decisão de não entregar os S-300 ao Irã porque, sem dúvida, estão proibidos pelas sanções da ONU", afirmou o general. "O comando tomou a decisão de interromper o processo de entrega", completou o militar.

Em junho, o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, anunciou a decisão de Moscou de "congelar" a entrega dos S-300 a Teerã, pouco depois de a ONU ter aprovado uma resolução que proibia a venda de algumas armas pesadas a este país. A resolução visa impedir que o Irã desenvolva mísseis balísticos capazes de transportar armas nucleares.

Rússia e Irã assinaram em 2007 um contrato de comercialização de cinco sistemas de defesa antiaérea S-300, avaliado em US$ 800 milhões, mas o Kremlin suspendeu a operação por motivos políticos em meio à nova etapa de relações com os Estados Unidos.

No entanto, perguntado sobre uma possível ruptura do contrato, Makarov respondeu que isso estará sujeito à reação o regime iraniano. "Veremos. Isso depende do comportamento do Irã".

A Casa Branca, em comunicado, saudou a decisão do governo russo.

Pressão do Irã

Recentemente, o ministro de Defesa iraniano, Ahmad Vahidi, pediu à Rússia que cumpra seus compromissos e entregue ao Irã esses mísseis.

"A venda de equipamentos S-300 é um acordo defensivo que não tem nada a ver com as sanções do Conselho de Segurança da ONU, e os russos devem cumprir seus compromissos a este respeito", ressaltou.

As autoridades iranianas afirmam que os S-300 não contrariam nenhum acordo internacional sobre venda ou proliferação de armas e advertem que a negativa russa a fornecer os mísseis prejudicará as relações bilaterais.

Os mísseis S-300 são considerados muito mais potentes que os sistemas antiaéreos Tor-M1 que o Irã comprou da Rússia por quase US$ 1 bilhão em 2005, contrato que Israel descreveu como uma "punhalada nas costas".

O Irã deseja proteger com os sistemas antiaéreos russos suas instalações estratégicas - administrativas, industriais e militares - em caso de ataque por parte dos EUA ou de Israel.

* Com AFP e EFE

    Leia tudo sobre: irãrússiamísseissanções

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG