Moscou, 22 ago (EFE).- O chefe adjunto do Estado-Maior Geral das Armadas da Rússia, Anatoli Nogovitsin, criticou hoje a presença no Mar Negro de quatro fragatas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

"Não acho que essas ações contribuam para estabilizar a situação na região, já que, de qualquer forma, atualmente está sob o controle da Frota do Mar Negro" da Rússia, disse Nogovitsin em entrevista coletiva, citado pela agência "Interfax".

O general ressaltou que não há necessidade de mobilizar mais navios perto do litoral da Geórgia.

"Chama a atenção o fato de que as funções de pacificação são cumpridas por fragatas e outros tipos de navios de guerra. Pelo menos, assim foi dito", disse.

Nogovitsin acrescentou que a Frota do Mar Negro "continua cumprindo sua missão de garantir a segurança na zona próxima à costa da Abkházia", outra região separatista da Geórgia.

Uma força naval da Otan, que inclui também fragatas alemã, americana e polonesa, entrou ontem no Mar Negro para uma série de exercícios de rotina e visitas à Romênia e à Bulgária.

A Otan informou, em comunicado, que essa mobilização, de três semanas de duração, era rotineira e tinha sido planejada há mais de um ano.

Nogovitsin também confirmou a suspensão da cooperação militar com a Otan, anunciada ontem pelo embaixador russo na Aliança, Dmitri Rogozin.

Esta semana, a Marinha de Guerra russa anunciou que seus navios não participariam das manobras navais internacionais Open Spirit 2008 nas águas do Mar Báltico. EFE io/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.