MOSCOU - As equipes de resgate russas confirmaram neste sábado a morte de 66 pessoas no acidente ocorrido na segunda-feira na central hidrelétrica de Sayano-Shúshenskaya, na Sibéria, enquanto continua a busca por outros nove desaparecidos.

Os últimos 17 corpos achados eram de operários que morreram afogados ou debaixo de escombros das máquinas da central, segundo informaram agências de notícias russas.

"Queremos que todos sejam reconhecidos e que não seja preciso recorrer às análises de DNA", explicou o ministro de Emergência, Serguei Shoigu, em coletiva de imprensa.

Reuters

Equipes de resgate procuram sobreviventes em escombros de hidrelétrica (20/08/2009)

O ministro informou que as equipes de resgate continuam bombeando a água que alagou a sala de máquinas e que dificulta o trabalho. Ainda hoje 25 operários serão enterrados na república de Khakássia, onde se encontra a central hidrelétrica, a maior do país.

Os familiares, que criticam a falta de informação oficial sobre o acidente, exigem como compensação 5 milhões de rublos (100 mil euros) por cada vítima.

A companhia operadora da central, RusHydro, se comprometeu a conceder a cada família apenas 1 milhão de rublos (20 mil euros), e o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, prometeu a mesma quantia.

Leia mais sobre: hidroelétrica

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.