Rússia condena skinheads por crimes racistas

Um tribunal de Moscou condenou nesta segunda-feira, a penas de seis a 20 anos de prisão, sete skinheads considerados culpados de 20 assassinatos e 12 tentativas de assassinato com motivações racistas, em agressões que filmaram e divulgaram na internet.

AFP |

Os dois líderes do grupo, Artur Ryno e Pavel Skachevski, de 17 anos, foram condenados a 10 anos de prisão, já que o tribunal levou em consideração que eram menores de idade no momento dos crimes, que aconteceram entre agosto de 2006 e outubro de 2007 na região de Moscou.

Roman Kuzin, nascido em 1988, foi condenado a 20 anos de reclusão em um regime carcerário estrito.

De acordo com a acusação, o grupo escolhia as vítimas pela aparência "não eslava".

or-vl/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG