Rússia começa a passar controle de Gori para Geórgia

Autoridades russas anunciaram nesta quinta-feira que começaram a transferir o controle de Gori para tropas da Geórgia. A decisão seria um sinal de que a Rússia está disposta a cumprir com os termos de uma trégua assinada pelas duas partes, sob a intermediação do presidente da França, Nicolas Sarkozy, na terça-feira.

BBC Brasil |

Um general russo disse, no entanto, que as tropas russas permanecerão na região ainda por vários dias para retirar armamentos e desmontar munições não detonadas.

De acordo com o correspondente da BBC em Gori, Gabriel Gatehouse, as tropas russas ainda controlam a cidade, mas estão permitindo a entrada de policiais georgianos para "restaurar a ordem". Na quarta-feira, houve registros de saques e violência generalizada em Gori.

Gori fica a 25 quilômetros da fronteira da Geórgia com a Ossétia do Sul e, na sexta-feira passada, serviu de base para o ataque georgiano contra a região separatista.

Desde então, a cidade se tornou um ponto estratégico e foi tomada pelos russos, que revidaram a incursão das tropas da Geórgia na Ossétia do Sul.

Isolamento

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, está sendo enviada à região.

Nesta quinta-feira, ela será recebida em Paris, na França, pelo presidente Nicolas Sarkozy, que hoje comanda a Presidência da União Européia. Depois, ela segue para a capital da Geórgia, Tbilisi, onde se reunirá com autoridades do país.

Rice disse que a Rússia corre o risco de "ficar isolada" caso não cumpra com os termos de um acordo de cessar-fogo fechado há dois dias.

A secretária ainda disse ter a impressão de que "a Rússia não está se comportando como o tipo de parceiro internacional que um dia disse querer ser".

O ministério das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, rebateu dizendo que o governo americano "deve escolher entre uma parceria com Moscou ou com a liderança georgiana".

Rússia e Geórgia se acusam mutuamente de romper o cessar-fogo mediado pela França. Na quarta-feira, ministros do Exterior da União Européia disseram que pretendem enviar monitores - mas não tropas - à Geórgia, desde que eles recebam apoio da ONU.

"Estamos determinados a agir e pedimos à Comissão (Européia) e aos altos representantes que preparem esta intervenção", disse o ministro francês do Exterior, Bernard Kouchner, após uma reunião com os chanceleres do bloco.

Ainda na quarta-feira, o primeiro carregamento de suprimentos enviado pelos Estados Unidos chegou à capital georgiana, Tbilisi, a bordo de um avião militar, horas depois que o presidente americano, George W. Bush, ter prometido enviar ajuda humanitária à Geórgia, seu tradicional aliado na região do Cáucaso.

O comissário especial dos Estados Unidos à região, Matthew Bryza, disse que esta foi a primeira carga de várias que vão chegar por mar e ar. Segundo Bryza, o material será direcionado para milhares de pessoas desabrigadas dentro da Geórgia.  

Leia também:

Opinião:

Leia mais sobre: Geórgia Rússia

    Leia tudo sobre: georgia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG