Rússia combate incêndio em zona radioativa de Chernobyl

Segundo autoridades, desde meados de julho foram registrados incêndios florestais em 3,9 mil hectares de áreas contaminadas

AFP |

Os incêndios florestais na Rússia atingiram as zonas contaminadas pela catástrofe nuclear de Chernobyl, região oeste do país, informa o site do serviço federal de defesa das florestas.

AFP
Tronco queimado de árvore é visto em floresta perto de uma vila de Zdorovie, cerca de 60 km a leste de Moscou
"No território de regiões da Rússia com terras contaminadas por substâncias radioativas, foram registrados incêndios florestais em 3,9 mil hectares desde meados de julho", afirmou. "Há mapas de contaminação (radioativa) e mapas dos incêndios. Basta compará-los. Não existe motivo para negar essa informação", acrescentou um funcionário do serviço.

Fontes do Ministério de Situações de Emergência russo negaram no início da semana a existência de incêndios na região de Briansk, na fronteira com Ucrânia e Bielo-Rússia, contaminada pela catástrofe de Chernobyl. Em 26 de abril de 1986, a explosão de um reator de Chernobyl, a cerca de 100 quilômetros da capital ucraniana, Kiev, contaminou grande parte da Europa, sobretudo a Ucrânia, Rússia e Bielo-Rússia. Segundo os ucranianos, a tragédia afetou cinco milhões de pessoas.

O Ministério de Situações de Emergência também anunciou nesta quarta-feira que a superfície dos incêndios florestais que devastam o país caiu a pouco mais da metade. "Na manhã desta quarta-feira, temos 612 focos de incêndio ativos em uma superfície de 92,7 mil hectares", afirma um comunicado ministerial.

Na terça-feira, as chamas cobriam 174 mil hectares. Um total de 165 mil funcionários do ministério combatem o fogo com a ajuda de 550 estrangeiros. Depois de quase duas semanas, os incêndios florestais deixaram 54 mortos.

O ministério também informou ter desviado as águas do rio Oka para apagar incêndios na região de Moscou. Uma chuva fina caiu na terça-feira em Moscou, onde a fumaça dos incêndios nas áreas de vegetação pantanosa se dissipou um pouco, mas a meteorologia prevê que a trégua vai durar pouco.

Durante o dia, as temperaturas serão de três a cinco graus inferiores às registradas nos últimos dias, mas, como a região de Moscou sofreu com 36-37 graus nas últimas 72 horas, o calor vai prosseguir, destacou o serviço meteorológico.

    Leia tudo sobre: rússiaincêndioonda de calorchernobyl

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG