Rússia bombardeia aeroporto perto da capital da Geórgia

Aviões russos atacaram na madrugada deste domingo um aeroporto militar na região de Tbilisi, informou o secretário do Conselho de Segurança georgiano, Alexandre Lomaia. Aviões russos lançaram várias bombas contra uma base aérea próxima ao Aeroporto Internacional. Não havia qualquer avião (georgiano). Sua missão foi danificar a pista de pouso, mas não conseguiram, disse Lomaia. A base aérea está a 5 km de Tbilisi.

AFP |


O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, pediu neste domingo uma investigação dos atos de "genocídio" cometidos pelas forças georgianas. Os episódios contados pelos refugiados ossetas "superam os marcos da compreensão das ações militares", disse Putin em uma reunião com o presidente russo, Dmitri Medvedev, transmitida pelo canal de televisão Vesti 24.

Reuters
Tanques russos em combate na Geórgia


"Na minha opinião, trata-se de uma espécie de genocídio. Creio que seria justo que você ordenasse à promotoria militar que documentasse esses incidentes, sobretudo porque a maior parte da população osseta é formada por cidadãos russos", afirmou.

"Certamente darei a ordem", respondeu Medvedev, acrescentando que os responsáveis por esses atos serão processados.

Putin retornou a Moscou na noite deste sábado. Ele se reuniu com o presidente Medvedev para falar de sua viagem a Vladikavkaz, capital da província russa da Ossétia do Norte, vizinha da Ossétia do Sul, informaram as agências russas.

O embaixador da Rússia nas Nações Unidas, Vitaly Churkin, também comparou o ataque a um "genocídio". "Quantas pessoas devem morrer para que se considere genocídio? É genocídio para os ossetas do sul", disse o embaixador à imprensa após participar de uma reunião a portas fechadas no Conselho de Segurança, que não foi capaz de chegar a um consenso para os apelos por um cessar-fogo na região.

Argumentando que o enclave russo possui uma população pequena, de aproximadamente 70.000 pessoas, o diplomata informou ter dito ao Conselho de Segurança: "Duzentos mortos é suficiente para vocês? Trinta mil refugiados, isso é suficiente para vocês?".

O general Krulev, comandante do 58º Exército russo, enviado à Ossétia do Sul com outras unidades russas, ficou ferido levemente quando seu carro foi atingido por tiros, revelou o Vesti.

Dois jornalistas russos também ficaram feridos neste sábado na Ossétia do Sul, segundo o mesmo o canal de TV. O correspondente Alexander Sladkov e o cinegrafista Leonid Lossev, ambos do Vesti, foram feridos a bala, depois que seu veículo foi alvo de disparos.

Os dois foram hospitalizados e operados em Vladikavkaz, capital da república russa da Ossétia do Norte, vizinha da Ossétia do Sul, acrescentou a Vesti.

A Geórgia lançou, na noite de quinta-feira, uma ofensiva militar contra a república rebelde da Ossétia do Sul, apoiada por Moscou. Rússia e Geórgia disputam o controle da região, independente de fato desde o fim da União Soviética, em 1991.

Leia também:

Leia mais sobre Geórgia



    Leia tudo sobre: georgia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG