Rússia assina tratados para defender separatistas da Geórgia

O presidente russo, Dmitry Medvedev, assinou nesta quarta-feira tratados com a Ossétia do Sul e Abkházia para defender essas regiões separatistas de eventuais ataques da Geórgia.

Reuters |

Os tratados formalizam as relações militares, diplomáticas e econômicas com as duas repúblicas, cuja independência a Rússia reconheceu no mês passado, após uma curta guerra contra a Geórgia.

'Os documentos que assinamos prevêem que nossos países adotem conjuntamente as medidas necessárias para reagir a ameaças à paz e para se opor a atos de agressão', disse Medvedev após uma pomposa cerimônia no Kremlin.

'Vamos nos demonstrar mutuamente todo o apoio necessário, inclusive o apoio militar. Uma repetição da agressão georgiana ... levaria a uma catástrofe em escala regional, então ninguém duvide de que não permitiremos novas aventuras militares', disse Medvedev.

A guerra do mês passado aconteceu depois que a Geórgia enviou tropas para tentar recuperar o controle da Ossétia do Sul, que desde a década de 1990 já gozava de autonomia sob a proteção de Moscou. O Ocidente, aliado da Geórgia, disse que a reação russa foi desmedida.

O vice-chanceler georgiano, Giga Brokeria, acusou a Rússia de estar violando a soberania e integridade territorial de seu país. 'Trata-se de uma anexação escancarada desses territórios pela Rússia. O resto é só uma simulação', disse ele à Reuters.

Em visita a Tbilisi, o subsecretário-assistente de Estado dos EUA, Matthew Bryza, afirmou que a Rússia deveria respeitar as fronteiras do país vizinho. '(Moscou) precisa cumprir seus anos e anos de compromissos, inclusive sob numerosas resoluções do Conselho de Segurança (da ONU), com a integridade territorial da Geórgia', disse.

Na quarta-feira, a chancelaria russa acusou a Otan de resgatar a mentalidade da Guerra Fria ao realizar uma reunião de alto escalão nesta semana em Tbilisi.

'Não podemos ver medidas para intensificar as relações entre a aliança e a Geórgia senão como um incentivo a novas aventuras', disse a chancelaria em nota. A Geórgia pleiteia sua adesão à Otan, uma ambição que a Rússia recrimina.

Após a assinatura dos tratados, Medvedev promoveu um aperto de mãos e um brinde com champanhe com os líderes Eduard Kokoity (Ossétia do Sul) e Sergei Bagapsh (Abkházia), que receberam todas as honras de chefes de Estado -- inclusive o anúncio da sua presença no idioma oficial de suas regiões.

Até agora, só Rússia e Nicarágua reconhecem essas duas repúblicas como países independentes. Moscou pretende estabelecer 7.600 soldados nas duas regiões, e os separatistas já recebem um apoio econômico substancial do governo russo.

    Leia tudo sobre: georgiageórgia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG