Rússia apresenta à UE diversidade do país em cúpula bilateral

Khabarovsk (Rússia), 21 mai (EFE).- A crise econômica, a energia e a segurança europeia dominarão a cúpula entre a Rússia e a União Europeia (UE), convocada hoje pela parte russa no extremo leste do país para mostrar a imensidão geográfica e as possibilidades que Moscou tem de olhar tanto para a Europa quanto para a Ásia.

EFE |

A escolha de Khabarovsk, cidade a apenas 25 quilômetros da fronteira com a China e a mais de oito mil quilômetros de Bruxelas, como sede das conversas, de acordo com o presidente russo, Dmitri Medvedev, obedeceu ao desejo de que os líderes europeus "saibam o que é a Rússia", além da Europa e dos Urais.

Isso permitirá construir relações "mais sólidas e baseadas na compreensão" entre Moscou e Bruxelas, ressaltou o presidente russo.

A 23ª Cúpula União Europeia-Rússia começou com um jantar informal oferecido pelo líder russo à delegação liderada pelo presidente tcheco e de turno do bloco, Vaclav Klaus, em uma casa de campo situada na localidade de Krasnorechenskoye.

O dia será encerrado com um passeio de barco pelo Amur, um dos maiores rios siberianos que serve de fronteira natural com a China no extremo leste russo.

"O trabalho da cúpula começará amanhã (sexta-feira)", explicou o assessor de política externa do chefe do Kremlin, Serguei Prikhodko.

Entre hoje e amanhã, a Rússia e a UE tentarão aproximar posições e reduzir as divergências em torno de temas como energia e segurança, desta vez tendo a crise econômica como pano de fundo.

Apesar de persistirem as diferenças, o Kremlin expressou a esperança de que o novo acordo de associação UE-Rússia esteja pronto até o final do ano.EFE egw/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG