Rússia apoiará regiões separatistas da Geórgia

MOSCOU - A Rússia vai apoiar a posição das regiões separatistas georgianas da Ossétia do Sul e Abkházia em conversas sobre o status futuros dessas áreas, disse na quinta-feira o presidente russo, Dmitry Medvedev, segundo agências de notícias.

Reuters |

Medvedev se encontrou com os líderes separatistas das duas regiões no Kremlin, para assinar um plano de seis pontos para terminar as hostilidades, com mediação da França, segundo agências.

"Por favor, saibam que a posição da Rússia não mudou. Nós vamos apoiar quaisquer decisões tomadas pelos povos da Ossétia do Sul e da Abkházia. E não somente apoiá-las, mas iremos garanti-las tanto no Cáucaso quanto no resto do mundo", disse Medvedev segundo a agência Interfax.

Separatismo

O colapso da União Soviética alimentou o nascimento de um movimento separatista na Ossétia do Sul, que sempre se sentiu mais próxima da Rússia que da Geórgia. A região livrou-se do controle georgiano durante uma guerra travada em 1991 e 1992 e na qual milhares de pessoas morreram. A Ossétia do Sul mantém uma relação estreita com a vizinha russa Ossétia do Norte, que fica do lado norte do Cáucaso.

A maior parte de seus quase 70 mil habitantes são etnicamente distintos dos georgianos e falam sua própria língua, parecida com o persa. Essas pessoas afirmam ter sido absorvidas à força pela Geórgia, durante o regime soviético, e agora desejam exercer seu direito à autodeterminação.

O líder separatista é Eduard Kokoity. Em novembro de 2006, vilarejos da Ossétia do Sul que continuam sob o controle da Geórgia, elegeram um líder rival, o ex-separatista Dmitry Sanakoyev. Sanakoyev conta com o apoio do governo georgiano, mas sua influência estende-se por somente uma pequena parte da região.

Leia também:

Opinião:

Leia mais sobre: Geórgia Rússia

    Leia tudo sobre: georgia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG