MOSCOU, 10 de janeiro, 10h15 (Reuters) - Forças de segurança da Rússia mataram a tiros dois líderes rebeldes seniores e vários seguidores deles em operações distintas no sul do país, informou o Serviço Federal de Segurança (FSB) em comunicado no domingo. Enviado à Reuters por fax, o comunicado disse que Marat Kurbonov, conhecido como o Emir do Daguestão, foi morto a tiros juntamente com dois rebeldes de posição inferior na noite de sábado nos arredores do vilarejo de Shamkhal, no Daguestão, quando os três transportavam explosivos em um carro.

O site Kavkazcenter.com, que tem vínculos com o movimento rebelde islâmico, informou que três pessoas foram mortas no sábado à noite em um carro, mas não deixou claro quem eram as pessoas.

A Rússia combate uma insurgência islâmica crescente no norte do Cáucaso, especialmente no Daguestão, Inguchétia e Tchetchênia, e o presidente Dmitri Medvedev descreveu o aumento da violência como o maior problema político interno do país.

Os agentes também identificaram o esconderijo de outro insurgente sênior Madrid Begov, um soldado da polícia especial russa, que desertou e se voltou contra as autoridades.

O FSB disse que as forças de segurança "neutralizaram" Begov depois de invadir uma casa particular na capital do Daguestão, Makhachkala, na manhã de domingo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.