O governo russo anunciou, nesta terça-feira, ampliou o nível de prontidão suas tropas na província separatista georgiana da Ossétia do Sul, após o que classificou como provocações por parte do governo da Geórgia. O anúncio da medida acontece às vésperas do aniversário de um ano do início da ofensiva russa contra a Geórgia, na próxima sexta-feira.

Em um comunicado divulgado nesta terça-feira, Andrei Nesterenko, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, afirmou que a medida tem o objetivo de impedir uma "escalada" de violência na região.

"A situação é bastante preocupante e as provocações georgianas antes do aniversário da guerra do ano passado não estão sendo interrompidas", diz o comunicado.

"Em conexão com isso, o nível de prontidão das tropas russas e dos guardas de fronteira estacionados na Ossétia do Sul foi aumentado", diz o documento, que afirma ainda que a Rússia "responderá" caso as "provocações" continuem.

Acusações

O governo russo alega que, nos últimos dias, vilarejos da Ossétia do Sul foram atingidos por tiros de morteiro.

A Geórgia, nega a acusação e diz que a medida russa é que é uma provocação. O país também acusa a Rússia de ter movido seus postos de controle de fronteira para dentro do território georgiano.

De acordo com os observadores da União Europeia que estão no território, ainda não foi possível confirmar nenhuma das acusações. A missão de observadores solicitou acesso aos dois lados da fronteira para checar as alegações.

A Rússia e o governo da Ossétia do Sul, no entanto, não permitiram que os monitores pudessem confirmar os supostos ataques por parte da Geórgia.

A União Europeia também pediu aos dois lados que mostrem moderação com a aproximação do aniversário da guerra.

Política

O conflito do ano passado teve início em 7 de agosto, quando a Geórgia tentou retomar o controle da província separatista da Ossétia do Sul, onde boa parte da população tem origem russa.

Em resposta, a Rússia lançou uma grande ofensiva que chegou a entrar em território georgiano.

Desde a guerra, a Rússia aumentou sua presença militar tanto na Ossétia do Sul quanto na Abecásia, outra região separatista da Geórgia que também teve sua independência reconhecida por Moscou.

Segundo analistas, os dois lados estão usando a aproximação do aniversário da ofensiva para tentar ganhar pontos políticos.

Leia mais sobre Ossétia do Sul

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.