Rússia afirma estar desocupando a Geórgia; Ocidente discorda

Por Margarita Antidze GORI, Geórgia (Reuters) - A Rússia disse na sexta-feira estar a caminho de completar até o fim do dia a retirada parcial de suas tropas da Geórgia, embora Estados Unidos e Alemanha digam não haver sinais claros de uma desocupação substancial.

Reuters |

John Craddock, chefe das forças norte-americanas na Europa, disse que a atual retirada, depois de confrontos que mataram centenas de pessoas, é 'pouco demais, lenta demais'.

O atual conflito começou em 7 de agosto, quando a Geórgia enviou tropas para tentar recuperar o controle da Ossétia do Sul, uma região separatista e etnicamente diversa que desde 1992 goza de autonomia sob a proteção de Moscou.

A Rússia reagiu enviando tropas que expulsaram as forças rivais da Ossétia e ocuparam partes da Geórgia.

Cumprindo um acordo mediado pela França, Moscou prometeu completar a desocupação até sexta-feira, mas durante a manhã a Alemanha disse que 'não está claro que se possa dizer com qualquer certeza que uma retirada substancial estaria acontecendo'.

O secretário do Conselho de Segurança Nacional da Geórgia, Kakha Lomaia, disse que as tropas russas deixaram Gori (centro da Geórgia) e estão desocupando os arredores.

Mas perto da cidade portuária de Poti, mais de 200 quilômetros a oeste da principal zona de conflito, um fotógrafo da Reuters viu soldados russos usando uma escavadeira para abrir uma trincheira num posto de controle, sob a vigilância de blindados.

Os EUA consideram que a desocupação de Poti é um teste para o real compromisso de Moscou com o plano francês de paz.

Citando um acordo de 1999, a Rússia deixa clara sua intenção de manter uma 'força de paz' substancial numa zona-tampão vizinha à Ossétia e à Abkházia, outra região separatista georgiana.

A Geórgia diz que isso viola o acordo mais recente, que encerrou o confronto deste mês. Tbilisi teme que, sob o rótulo de 'forças de paz', Moscou controle estradas e ferrovias, estrangulando a economia georgiana.

Lomaia disse ter recebido do comando militar russo a promessa de desativar os postos de controle montados na principal rodovia leste-oeste da Geórgia.

Mas, na localidade de Shaveshebi, próxima a Gori, ondula uma bandeira das forças de paz, e soldados russos usam faixas azuis no capacete.

Os militares russos disseram que essa presença militar na zona-tampão entre Ossétia do Sul e a Geórgia será permanente.

(Reportagem adicional de David Brunnstrom em Tbilisi, Dmitry Solovyov em Tskhinvali e Patrick Worsnip nas Nações Unidas)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG