Rússia adverte contra entrada da Ucrânia na Otan

Kiev, 14 jun (EFE) - O vice-primeiro-ministro russo, Serguei Ivanov, advertiu hoje a Ucrânia sobre as graves conseqüências que terão sua eventual entrada na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e das tentativas de retirar antes do tempo a frota russa do porto ucraniano de Sebastopol.

EFE |

Se Ucrânia entrar na Otan, a Aliança obrigará o país a introduzir um sistema de vistos com a Rússia, o que "afetará dezenas de milhões de russos e ucranianos", disse Ivanov em Sebastopol, onde participa das comemorações por ocasião de 225º aniversário desse porto.

Ele acrescentou que esse passo da Ucrânia obrigaria a Rússia a "tomar medidas de resposta", afetará o comércio e a cooperação econômica e industrial entre os dois países e reduzirá o turismo russo à península ucraniana da Criméia, no Mar Negro.

Por outra parte, advertiu contra "a chantagem, as ameaças e as provocações" a respeito da Frota russa do Mar Negro, cuja base é, até 2017, o porto de Sebastopol, em virtude de um convênio bilateral assinado em 1997 por 20 anos.

O presidente ucraniano, Viktor Yushchenko, ordenou recentemente preparar os documentos para a evacuação da Frota russa em 2017, pois a Constituição do país proíbe a presença de bases estrangeiras, enquanto a Rússia deseja prolongar o acordo para que sua Marinha permaneça em Sebastopol por mais tempo.

Como conseqüência, o Parlamento russo propôs ao Kremlin abandonar o tratado bilateral de amizade e cooperação com a Ucrânia e alguns políticos sugeriram inclusive reivindicar Sebastopol, base histórica da Frota russa no Mar Negro, e a península da Criméia.

O nacionalista prefeito de Moscou, Yuri Luzhkov, declarou há pouco que não hoje documentos históricos que certifiquem que Sebastopol foi entregue à Ucrânia pelo líder soviético Nikita Kruschev junto com o resto da península da Criméia.

Em resposta, o Governo ucraniano proibiu a Luzhkov a entrada no país, enquanto a Chancelaria russa saiu em sua defesa ao assinalar que o vereador "só expressou sua opinião, compartilhada pela maioria dos russos, que receberam com dor a desintegração da URSS".

"A Frota do Mar Negro da Rússia é inimaginável sem Sebastopol, que é e continuará sendo um exemplo da glória militar russa", disse hoje o vice-primeiro-ministro e ex-titular da Defesa russo, segundo a agência "Interfax-Ukraine". EFE bk/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG