Moscou, 29 ago (EFE).- O Ministério de Assuntos Exteriores da Rússia acusou hoje o G7 (grupo dos sete países mais desenvolvidos do mundo) de justificar as ações agressivas da Geórgia e adotar uma postura inspirada em preconceitos diante do conflito no Cáucaso.

"A declaração do G7 divulgada em 27 de agosto contém uma condenação ao reconhecimento pela Rússia da independência da Ossétia do Sul e da Abkházia".

"Trata-se de uma passagem de caráter preconceituoso e visa justificar as ações agressivas da Geórgia", afirma um comunicado da Chancelaria.

A diplomacia russa destacou que a declaração dos ministros de Relações Exteriores de Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido e Estados Unidos "fala de forma infundada que a Rússia 'viola' a integridade territorial da Geórgia".

O G7 disse que a decisão da Rússia de reconhecer as independências das regiões georgianas da Ossétia do Sul e da Abkházia "coloca em dúvida seu compromisso com a paz e com a segurança no Cáucaso".

Segundo o Ministério de Exteriores, a afirmação não "resiste à mínima crítica", pois "as ações decididas e oportunas do Governo russo evitaram a desestabilização de toda a região do Cáucaso".

Ao mesmo tempo, a Chancelaria assegurou que a Rússia "reafirma seu espírito de cooperação com o G8 (os sete países mais desenvolvidos do mundo e a Rússia) e está aberta para uma troca de opiniões franca e sobre todos os problemas da atualidade". EFE bsi/fh/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.