Rússia acusa EUA de paralisar negociações de desarmamento

MOSCOU - O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, acusou nesta quinta-feira o governo dos Estados Unidos de frear as negociações sobre um novo tratado de desarmamento nuclear, o que torna altamente improvável a assinatura de um novo acordo.

AFP |

"Durante os dois ou três últimos dias, constatamos que a delegação americana freava as negociações em Genebra, Suíça, sobre a conclusão de um novo acordo START", afirmou Lavrov em uma entrevista exibida por canais de TV russos.

"Como consequência, é altamente improvável que se assine um novo acordo em Copenhague", completou. O documento seria assinado à margem da Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, a COP15, que termina amanhã em Copenhague.

Uma fonte americana anunciou na quarta-feira à noite que Estados Unidos e Rússia não concluiriam um acordo até o fim do ano sobre o tratado que substituirá o START.

O novo acordo negociado pelas delegações russa e americana há mais de seis meses em Genebra tem o objetivo de substituir o START 1 de 1991, que expirou em 5 de dezembro.

A agência russa Interfax citou nesta quinta-feira uma fonte da delegação russa que disse acreditar na assinatura do novo acordo em janeiro.

Leia mais sobre desarmamento

    Leia tudo sobre: desarmamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG