Moscou, 22 jul (EFE).- A Rússia pediu hoje um julgamento objetivo ao ex-líder servo-bósnio e acusado de crimes de guerra Radovan Karadzic, ao mesmo tempo em que acusou o Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) de parcialidade, e opinou que essa corte deveria ceder o caso à Justiça sérvia.

O Ministério de Exteriores russo declarou que a detenção e a possível entrega de Karadzic ao TPII é um assunto exclusivamente interno da Sérvia, "em cumprimento de seus compromissos" com essa corte.

"Esperamos que a investigação e o processo judicial contra Karadzic tenham caráter imparcial", disse o porta-voz da Chancelaria russa, Andrei Nesterenko, em comunicado publicado no site do ministério.

O porta-voz afirmou que o TPII "demonstrou reiteradamente" sua atitude de julgamento prévio, ao perseguir, principalmente, criminosos de guerra sérvios e ao absolver bósnios e albano-kosovares.

Afirmou que a Rússia considera necessário acelerar o fechamento deste tribunal internacional, e que este entregue todos os casos que tem pendentes à Justiça dos países que surgiram do antigo Estado iugoslavo.

"Os órgãos judiciais dos países da antiga Iugoslávia são suficientemente maduros e capazes de fazer justiça e emitir eles mesmos veredictos sobre os casos de crimes de guerra", enfatizou o porta-voz da Chancelaria russa. EFE si/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.