Tropas russas entraram na Geórgia a partir da região separatista de Abkházia nesta segunda-feira, em uma ampliação do conflito entre os dois países, até então restrito à Ossétia do Sul, região da Geórgia que busca independência. Segundo Moscou, as suas tropas alcançaram a cidade de Senaki, no oeste da Geórgia, próxima a Abkházia, com o objetivo de fazer com que a Geórgia pare de atacar forças russas na Ossétia do Sul.

Ainda nesta segunda-feira, tropas russas teriam tomado a cidade de Gori, no centro da Geórgia e a cerca de 70 quilômetros da capital, Tbilisi. Os russos, porém, não confirmam a informação.

Mesmo antes da informação sobre a possível tomada da cidade, a Acnur, agência de refugiados da ONU, já estimava que cerca de 40 mil pessoas, ou algo em torno de 60% da população, já haviam deixado Gori nos últimos dias por causa da aproximação das tropas russas.

Fontes georgianas dizem que a Rússia também deslocou tropas para a cidade de Zugdidi.

Os russos teriam dado um ultimato às forças georgianas para escolher entre se desarmarem ou serem atacadas e em seguida teriam ocupado prédios oficiais da cidade.

Pressão internacional
A comunidade internacional tem aumentado as pressões por um cessar-fogo.

O presidente da Geórgia, Mikhail Saakashvili, chegou a assinar um cessar-fogo proposto pela União Européia, mas a Rússia rejeitou o documento.

O governo russo insiste que as tropas georgianas sejam completamente retiradas da Ossétia do Sul para que qualquer decisão de cessar-fogo seja cumprida.

Os combates na Ossétia do Sul tiveram início na última sexta-feira depois que as tropas da Geórgia cercaram a capital da região para dominar os rebeldes.

Moscou, que tem uma força de paz na região e apóia os separatistas, inicialmente bombardeou alvos na Geórgia e deslocou tropas para Ossétia do Sul e Abkházia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.