Londres, 17 jun (EFE).- O Tribunal de Apelações de Londres estuda o recurso apresentado pelo Governo das ilhas caribenhas de Turks e Caicos contra a decisão britânica de impô-las um regime de Governo direto para combater a corrupção.

Segundo disseram ao jornal "The Guardian" fontes oficiais, o Governo britânico prefere que os tribunais decidam antes de suspender por dois anos o Governo e a constituição dessas ilhas e perseguir judicialmente os acusados de corrupção.

Com aproximadamente 30 mil habitantes, Turks e Caicos são atualmente um território britânico de ultramar e têm um Governo autônomo, mas desde os anos 70 avançam para a total independência da metrópole.

O primeiro-ministro das ilhas, Michael Misick, solicitou uma revisão judicial do direito da Coroa britânica de suspender a constituição.

Misick foi acusado de fazer fortuna permitindo a diversos agentes imobiliários, algum deles de Dubai, o acesso a terrenos de propriedade da Coroa britânica.

Se for aplicado o regime de Governo direto, o governador britânico, Gordon Wetherell, assumirá o poder, que está agora nas mãos do Parlamento e dos tribunais das ilhas. EFE jr/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.