R.Unido proíbe anúncio com Keira Knightley de violência contra mulher

Londres, 27 abr (EFE).- As autoridades de censura do Reino Unido proibiram a exibição de um anúncio de televisão no qual a atriz Keira Knightley é maltratada pelo namorado, por considerá-lo muito duro para ser divulgado no meio de comunicação.

EFE |

Na mensagem, de dois minutos e que faz parte de uma campanha contra a violência doméstica, Knightley interpreta uma atriz que volta para casa e é agredida várias vezes pelo namorado, que inclusive a chuta quando ela está no chão.

Clearcast, o organismo encarregado de supervisionar o conteúdo dos anúncios publicitários no Reino Unido, argumentou hoje que essas cenas são excessivamente violentas e, por isso, pede que sejam eliminadas para que a mensagem possa ser exibida na televisão.

Dirigido pelo cineasta britânico Joe Wright - que trabalhou com a atriz em "Desejo e Reparação" -, o objetivo do anúncio é mostrar à sociedade que a violência de gênero não acontece só nas classes sociais menos favorecidas, como explicou a própria Keira Knightley durante a apresentação da campanha, em 4 de abril.

A organização "Women's Aid", responsável pela ideia, lamentou "profundamente" a decisão dos censores, já que, em sua opinião, "vai impedir a sociedade de ver a realidade do maus-tratos às mulheres".

No entanto, a associação considera que a campanha "já foi um êxito" se for levado em conta o grande número de pessoas que viram o anúncio na internet e o debate público que gerou. EFE avh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG