R.Unido põe fim às operações de combate no Iraque

Londres, 30 abr (EFE).- O Reino Unido põe hoje fim às operações de combates no Iraque, um mês antes do previsto e seis anos após participar da invasão desse país árabe.

EFE |

A repatriação dos 3.700 soldados que estão em Basra (sul do Iraque) será acelerada nos próximos dias, uma vez que o general britânico a cargo do contingente entregue o comando a um general americano na presença do ministro da Defesa, John Hutton.

A cerimônia acontecerá na tarde de hoje (local), depois de uma homenagem aos 179 militares britânicos que morreram desde a invasão do Iraque, em março de 2003.

O fim das operações fecha uma das missões militares britânicas mais prolongadas no exterior, com uma campanha de 2.232 dias, mais longa que as duas Guerras Mundiais juntas.

Assim que o general britânico Andy Salmon entregar o controle militar ao general americano, Michael Oates, o sul do Iraque será supervisionado por uma divisão multinacional.

Espera-se que a partir do mês que vem só permaneça no país árabe um contingente de 400 militares britânicos, dedicados a tarefas administrativas e ao treinamento das forças navais iraquianas.

Após a retirada completa, o Governo do trabalhista Gordon Brown se compromete a abrir uma investigação sobre os motivos que levaram o Reino Unido a apoiar o ex-presidente americano George W. Bush na decisão de invadir Iraque.

Mesmo contra a decisão da ONU, o Governo trabalhista de Tony Blair foi o principal aliado de Bush na invasão do Iraque, argumentando que seu presidente, Saddam Hussein, mantinha vínculos com a Al Qaeda e estava em posse de armas de destruição em massa, um arsenal que nunca apareceu. EFE fpb/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG