Londres, 25 jun (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores britânico, David Miliband, insistiu hoje em que o Reino Unido não procura uma mudança de regime no Irã, após as polêmicas eleições presidenciais iranianas de 12 de junho.

Em declarações à cadeia "Sky News", Miliband rejeitou a posição do líder supremo da Revolução iraniana, aiatolá Ali Khamenei, de que o Reino Unido deseja interferir e fomentar os protestos, que tiveram início depois que os dados oficiais concederam a vitória ao conservador Mahmoud Ahmadinejad.

"Geralmente, os regimes querem se esconder atrás da ideia de que enfrentam uma ofensiva em massa desde o exterior", acrescentou.

"Ninguém procura uma mudança de regime no Irã a partir do exterior. É questão dos iranianos escolher seu próprio Governo", explicou o chefe da diplomacia britânica.

Em declarações à "BBC", Miliband disse que "há uma crise de credibilidade entre o Governo iraniano e sua própria gente. Não é uma crise entre Irã e EUA ou Irã e Reino Unido, embora o Governo iraniano tente sugerir isso".

"As pessoas estão nas ruas devido à crise de credibilidade pelo anúncio dos resultados das eleições. Essa não é uma motivação britânica, esse é um assunto que a população iraniana tem que decidir", afirmou o ministro.

As relações anglo-iranianos passam por um momento difícil depois que o primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, anunciou na última terça-feira na Câmara dos Comuns do Parlamento a expulsão de dois diplomatas iranianos de Londres em resposta a uma medida similar adotada no dia anterior pelas autoridades de Teerã. EFE vg/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.