Jerusalém, 28 fev (EFE).- Agentes da Polícia do Reino Unido estão em Israel para investigar o uso de passaportes britânicos falsos no assassinato do dirigente do Hamas Mahmoud Al-Mabhuh, em janeiro passado em Dubai.

Seis pessoas com dupla nacionalidade (britânica e israelense), cujas identidades foram roubadas pelos suspeitos do assassinato, serão interrogadas na Embaixada do Reino Unido em Tel Aviv como possíveis testemunhas do crime.

No total, as forças de segurança de Dubai localizaram 26 suspeitos, que usaram identidades britânica (12), irlandesa (6), francesa (4), alemã (1) e australiana (3).

Pelo menos 17 dos passaportes correspondem a israelenses com dupla nacionalidade que residem em Israel.

A Polícia de Dubai revelou hoje em comunicado que os assassinos do dirigente do Hamas, morto em 19 de janeiro, injetaram drogas nele antes de asfixiá-lo.

O serviço de inteligência israelense no exterior (Mossad) é acusado pela Polícia de Dubai de ser o mentor da execução de Mabhuh, um dos fundadores do braço armado do Hamas. EFE aca/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.